Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Começam as obras de duplicação da Rua Faria Lima

Share

coletiva.faria.lima.VP

Serviços serão feitos em dois trechos, inicialmente com alargamento da pista no sentido da UEL até o Lago Igapó; Município investirá R$ 8 milhões ao todo

Teve início nesta segunda-feira (5) a primeira etapa da obra de duplicação da Rua Prefeito Faria Lima, que irá melhorar a mobilidade e o fluxo de trânsito em uma importante via de Londrina. O prefeito Marcelo Belinati e o secretário municipal de Obras e Pavimentação, João Verçosa, estiveram no local e concederam entrevista à imprensa para dar mais detalhes sobre os trabalhos da obra, que incluem o alargamento da via e a construção de uma ponte na região do Lago Igapó.

Os serviços serão realizados em duas etapas, mas de forma integrada, com execução de 1,5 km no total. No Lote 1, a duplicação abrange área de 900 metros e será feita no sentido da Universidade Estadual de Londrina (UEL) até a ponte do Lago Igapó, compreendendo trecho que inicia na Rua Reverendo João Batista Ribeiro Neto até a Rua Bento Munhoz da Rocha. O prazo de execução do primeiro trecho é de sete meses a partir da ordem de serviço, que foi dada no final da semana passada.

coletiva.faria.lima.V3Já no Lote 2 a execução contempla outros 600 metros e ocorrerá a partir da Rua Bento Munhoz da Rocha até o alto da Faria Lima, chegando na Avenida Maringá, em etapa que também inclui a construção da ponte na área do Igapó. Os trabalhos devem ser executados em até nove meses, com previsão de início a partir de fevereiro de 2019. Dessa forma, grande parte das atividades irão ocorrer concomitantemente.

Ao todo, a Prefeitura de Londrina investirá o montante aproximado de R$ 8 milhões. Os valores licitados são de R$ 2.633.217,69 no Lote 1 e mais R$ 3.871.550,41 para o Lote 2, por meio de financiamento junto à Caixa Econômica Federal. A contrapartida do Município é de R$1.460.000,00 para as desapropriações de terrenos deste trecho. A vencedora dos processos licitatórios para os dois trechos foi a construtora londrinense Imai e Barreto Engenharia LTDA, do grupo Artenge. A empresa já está recebendo os equipamentos no local do canteiro de obras, onde começará a fazer o levantamento topográfico.

O prefeito Marcelo destacou que a população de Londrina será beneficiada pela obra, que é importante para proporcionar uma via de mais qualidade e segurança a quem mora ou transita por aquela região. “O fluxo de trânsito será melhorado e as intervenções facilitarão a vida de todos, incluindo os funcionários, professores e alunos da UEL. Além do alargamento da pista, os serviços incluem a reconstrução da ponto do aterro do Lago Igapó e as desapropriações estão seguindo normalmente dentro dos regramentos e trâmites legais, e não vão atrapalhar a execução dos trabalhos. A cidade receberá uma obra de grande qualidade”, disse.

Ainda segundo o prefeito, a intenção é autorizar nos próximos meses a duplicação da Avenida Aminthas de Barros e estão sendo planejadas ações em outros pontos. “Estão sendo estudados possíveis projetos de intervenção para locais como as avenidas Guilherme de Almeida e dos Pioneiros, e de recomposição do asfalto em vias importantes de Londrina, como a Avenida Winston Churchill, Rio Branco, Francisco Gabriel Arruda, Rio Grande do Sul, entre outros trechos”, acrescentou.

coletiva.faria.lima.V2De acordo com o secretário João Verçosa, a duplicação da Faria Lima vai trazer ganhos para o trânsito e boas alternativas, melhorando o acesso tanto para quem precisa ir até a UEL como aos usuários da via que trafegam da região sul até o centro da cidade. “Trata-se de uma obra importante e que sairá do papel após muitos anos. A obra também contemplará faixa para o Superbus e ciclofaixa. Para esta primeira etapa, que inicia hoje, fizemos todas as desapropriações necessárias, sendo que as 19 desapropriações da etapa seguinte também já estão avançando para que possamos lançar a outra ordem de serviço”, frisou.

Verçosa adiantou que, por ser uma rua de grande movimento, a Prefeitura deverá fazer algumas intervenções durante as obras, juntamente com a Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU). “No entanto, a intenção é causar o mínimo de transtornos. Faremos todo o monitoramento e, conforme o andamento dos serviços e as demandas da empresa, eventualmente será necessário algum trabalho como desvios de trânsito, travessias de tubulação, sinalização, mudança de itinerário de ônibus, entre outros”, informou.

Fotos: Vivian Honorato

Anterior Próximo Pagina:

Acesso Fácil

Núcleo de Comunicação

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 3584 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner